Friday, June 13, 2008

A síndrome de cada um…

Eu lembro que há alguns anos atrás o Rafa teve a síndrome do sabonete. Absolutamente todas as vezes que iamos fazer compras no supermercado ele achava que estávamos precisando de sabonetes e comprava mais, a ponto de termos em nosso antigo apto uma gaveta reservada apenas para os sabonetes que não paravam de chegar. Depois de um certo tempo, o item na nossa lista de compra era “não precisa de sabonete” e depois de insistir na estratégia eis que nosso inventário de sabonetes começou a baixar.

Preciso confessar que foi de fácil tratamento, simples, fácil e eficaz o Rafa simplesmente desencanou dos sabonetes depois de um tempo e voltamos a ter um volume normal dentro de casa.....Comigo a coisa continua e apesar de eu me controlar, preciso assumir que quando vou ver minha mesa de trabalho e a nossa casa já está cheia de canetas de novo...

Sim, esta é a minha síndrome, sempre achar que eu não tenho caneta e pego mais canetas (eu não as roubo dos outros pq não gosto de caneta usada, eu as pego do armário da empresa e são bic e marca texto mesmo, nada especial).

Isso vem de muitos anos eu acho, lembro da minha mãe comentar na minha adolescência de que tinhamos canetas demais em casa e que eu precisava parar de comprar, pois nós tinhamos um balde para guardá-las.. A limpeza geral veio quando a vida de casada chegou, boa parte das canetas ficaram com a minha mãe, mas nada me impediu de voltar a acumular canetas em nosso apto, mais uma vez “ganhei” um baldinho e lá colocamos todas as canetas que eu ia trazendo/comprando... Viemos para o Canadá, mais uma limpeza de canetas a vista, as mães mais uma vez ganharam várias e ainda acho que minha mãe tinha estoque antigo de qdo sai de casa.

Cá estamos, vida nova, tudo novo, e adivinhem?! Sem comentários...

5 comments:

Ju e Ivan said...

O Ivan tem isso com sorine, na verdade com o genérico neosoro, como ele é viciado, só sai de casa com um sorine no bolso ou na minha bolsa...o problema é que ele sempre compra de monte com medo de ficar sem, e sempre antes de acabar...aí quando ele não sabe onde botou o sorine que acabou de abrir vai lá e abre outro...ontem mesmo achei três sorines abertos quase cheios dentro da minha bolsa. Agora quero ver qual vai ser o substituto do Sorine dele no Canadá!

Beijos,
JU

K said...

hahaha acho que cada um tem sua mania, né? Se bem que meu pai e meu marido têm a mesma mania do seu marido, comprar sabonetes sem parar. Já a minha é comprar esponja pra lavar louça. Sempre compro porque acho que acabou e, surpresa!, já tinha um monte. Pelo menos não é nada que estrague nem que seja caro...

Beijo,

K.

Tiago said...

E AI LININHA !!!
É do Rafa não posso dizer nada, mais essa sindrome de caneta, vem bem antes da adolescência... rsrs
Isso é sério.. rsrs já faz parte de vc acho q não há mais tratamente efetivo para isso.

Beijão... e continue assim seja da forma que for...
Acima de tudo sempre sendo essa irmã linda e maravilhosa

Ellie said...

O Jotinho tambem tem essa mania de caneta. Mas ele nao compra nada nao, mas vive pegando caneta por ai. Ele vai no banco, no supermercado, ou qualquer lugar onde eles dao caneta com o logo da firma, e ele volta com o bolso cheio. A gente tem um balde em casa tambem cheio de caneta que a gente ainda nunca usou. E que disse que ele deixa eu jogar algumas fora?

Beijinhos

Fer & Rê said...

óláa, bom primeira mente queria dizer que foi um prazer te conhecer no aniver das meninas! pena que a correria com os meninos foi tanta que quase nem consegui me despedir...eheheh
Bom, dando uma lida rápida nos blogs (só quando dá uma calmaria aqui em casa...) eu me identifiquei contigo pela sindrome da coleção de canetas... eu também era igualzinha e continuo sendo até hoje... tenho mania e fissuração por canetas... mas confesso que após o nascimento das crias eu tive que obrigatoriamente diminuir o gasto com elas... eheheh mas ainda hoje quando posso compro uma diferente.. eheh
Bom, vamos nos falando.
Beijos
Fer