Saturday, February 02, 2008

Deixa a vida me levar.

Estes dias eu estava pensando em algum assunto novo para o post que pudesse tb ajudar as pessoas que estão por vir. O que eu havia percebido é que contamos algumas coisas que acontecem conosco ou fatos estranhos, mas não necessariamente isso ajudaria quem ainda está em cima do muro. Não quero convencer ninguém a vir para cá, mas estou cansada de ler em todos os blogs (inclusive no meu) que o Canadá é seguro, é limpo, pessoas fedem, pessoas são educadas, que faz frio, que neva...

Tentando achar um ângulo diferente para discutir o assunto da mudança (seja física ou psicológica) eu posso confessar que desde que chegamos, eu passei a me cobrar menos, eu passei a rir mto mais de mim mesma e desencanei do que os outros pensam de mim.

Não deixei de trabalhar, de querer o melhor para nós, as acho que o fato de aceitar as coisas (inclusive as menos agradáveis) de maneira positiva fez com que o nosso dia a dia ficasse mais leve.

Eu sempre fui um pouco radical, linha dura, se tem que fazer vamos fazer, se tem que trabalhar vamos trabalhar e isso não mudou. Mas em compensação hoje se eu dou bola fora (e mim fala como índio às vezes), ao invés de me lamentar, me enfiar debaixo da mesa ou me sentir a última das mortais (pq eu me cobro mto), eu dou risada e bola pra frente.

Por que isso? Eu acho que ficamos tão vulneráveis a um novo idioma, longe da família (lá vem o assunto repetitivo de novo) que se não levarmos os desafios e as bolas foras com bom humor às coisas tendem a nos deixar rabugentos.

Por nenhum instante deixei minhas obrigações de lado, mas mesmo depois de velha ter que cair muitas vezes antes de conseguir ficar em pé nos esquis passou a ser mais divertido do que vergonhoso. Qdo caiu neve fresquinha e deu vontade, eu desci do prédio onde moramos, fiz anjinho no chão, tirei foto e voltei feliz da vida. Aprendi a ser cara de pau e qdo o fast food grita “pão branco, integral, preto, com grão, xpto” eu falo “pão o que???”, e se ele quiser ou explica direito, ou me mostra os pães ou vamos ficar ali até conseguirmos entrar em um acordo sem mto stress e a fila crescendo (ok, esta fase já passou, já sei identificar os pães e escolher pelo nome qual eu quero, mas eu sofri hahahaha).

Nada mudou, a vida continua a mesma, as contas para pagar tb.. Eu só acho que mudei a maneira de encarar as coisas.. Isso poderia ter acontecido aqui, ai, ou em qualquer lugar.. Foi o Canadá que fez isso comigo? Não!!!! Se vc mudar para cá vai acontecer o mesmo com vc? Talvez, quem sabe?! Mas que iss não seja o catalisador para sua vinda..

O jeito é levar da melhor maneira possível e aproveitar a vida, pq o tempo tá passando..
A nossa experiência tem sido valiosa e tenho certeza de que é reflexo da maneira que resolvemos encarar este desafio.O mais importante é saber que qualquer mudança seja boa ou má, parte de vc, em qualquer lugar do mundo, e não é mudando para outro pais que os problemas vão sumir, pq eles só tendem a mudar..

4 comments:

Rogerio e Luciane said...

Dani e Rafa,

Não sei qual dos dois que escreveu este post, mas há muito tempo não leio algo tão interessante nos muitos blogs que leio diariamente.
Somos um casal de Brasília (atualmente no Rio) aguardando ansiosamente e nervosamente os próximos 40 dias quando desembarcaremos em Montreal para a nossa saga imigratória.
Lendo o depoimento de vocês, cheguei à conclusão que vocês estão completamente corretos. Não adianta nada stressar, ficar nervoso ou ansioso. Isto não muda os fatos.
Manter a calma e o bom humor é que vai fazer a diferença.
Desejo que este espírito continue por muito tempo e que um dia possamos nos conhecer ANIMADAMENTE aí no Canadá.
Grande abraço
Rogério

Ninha, Doane e Christal said...

uaall!
É sempre bom e cada vez mais difícil tb ouvirmos de imigrantes ja instalados ai no Canadá, suas mudanças psicológicas e impressões relativas a essa mudança como vc relatou agora Carol. Ótimo post.
Eu fico conversando com o Dodo a respeito justamente disso que vc escreveu. A maneira de enfrentar as coisas, e sempre chegamos a uma conclusão: O importante é aprendermos a encarar as coisas de uma forma mais leve, nunca levar as coisas tão a sério , pois a forma com quem aceitamos as coisas é que aprendemos a faze-las diferente algum dia.

Um grande abraço
Ninha e Dodo

Rosa said...

Nossa, obrigada por ter compartilhado tão profundos e sinceros sentimentos com a gente. Conheço blogueiros fãs de vocês e agora, depois de passar a ler "voces", sei porque. Foi muito bom ler este post pois eu me "indentifiquei" com voce pois eu também mudei muito internamente e para melhor. Um abraço e fiquei com a vontade de encontrá-los um dia pessoalmente. Se pensarem um dia em conhecer o que Whitby tem de bom, me liga!! Um abraço, Rosa

sandra said...

Gostei muito da sua sincera partilha em estar se cobrando menos.Eu tb me mudei ha pouco tempo pro Canada e percebo essas mudanc,as positivas em mim tb.Penso que queremos evoluir,crescer e deixar para tras o que nao era bom!!!Moro em Brampton/ON e amei o blog de vcs.Penso q ja tinha lido anteriormente.Qdo estamos conhecendo o Canada buscamos tudo...kkk.Bjs!Sandra